É comum identificarmos algumas manchinhas na pele e nos incomodarmos com elas. Se você está se perguntando como elas são formadas, então estamos aqui para ajudar.

Neste post, falaremos sobre um tipo de mancha de pele comum entre homens e mulheres, porém pouco comentado: o melasma. Acompanhe a leitura e descubra mais sobre ele.

O que é o Melasma?

O melasma consiste em uma doença de pele que provoca o aparecimento de diversas manchas escuras, geralmente no rosto, mas que também pode ocorrer em outras partes do corpo. Apesar de ser mais comum em mulheres, os homens também estão propensos à doença.

O melasma não tem cura, mas tem tratamentos que diminuem as manchinhas, deixando-as menos aparentes. Também não tem uma única causa definida, mas sim um conjunto de ações que podem levar ao aparecimento das manchas. O principal deles é o excesso de exposição ao sol, por isso é tão importante o uso de filtro solar diariamente.

Como se forma o melasma?

A pigmentação da pele acontece por meio de uma substância chamada melanina, que é produzida por uma célula que se chama melanócito. Essas estruturas se localizam na camada inferior da epiderme, que é a parte mais superficial da pele. A melanina, além de ser responsável pela pigmentação, auxilia na proteção contra a radiação solar.

O melasma acontece quando existe uma hiperproliferação ou hiperfunção desses melanócitos, que produzem mais melanina do que o necessário. O nome desse processo é hipermelanose. A melanina em excesso fica concentrada dentro da pele, o que provoca as manchas.

O que pode causar o melasma?

Hormônios desempenham um papel enorme no aparecimento de manchas. As glândulas sebáceas, que secretam sebo, tendem a se tornar levemente hiperativas durante a puberdade. Isso significa que as chances de se obter manchas aumentam quando você está passando pela puberdade e é essa a razão pela qual tantos adolescentes têm acne.

Manchas também tendem a ser mais frequentes em torno do ciclo menstrual de uma mulher, devido aos desequilíbrios hormonais em seu corpo, o que leva, inclusive, a rugas.

Não só a produção de hormônios, também há o excesso de exposição ao sol. As radiações ultravioletas estão relacionadas a produção extra de melanina. E não somente os raios solares também estão relacionados ao acúmulo de melanina, mas também a luz proveniente de lâmpadas pode causar o melasma.

Quais são os tipos de melasma?

Como já visto, a produção a mais de melanina pode provocar o melasma. Conheça agora os diferentes tipos dessa doença de pele!

Melasma epidérmico

O melasma epidérmico acontece quando a hiperprodução de melanina se acumula na camada superficial da pele. As manchinhas se formam, porém, são mais fáceis de ser removidas, pois são mais rasas.

Melasma dérmico

Já o melasma dérmico possui manchas um pouco mais profundas. O acúmulo de melanina está na derme juntamente aos vasos sanguíneos, sendo assim, o tratamento pode ser um pouco mais difícil.

Melasma misto

Por fim, o melasma misto se faz com a junção dos dois anteriores: o melasma dérmico e o epidérmico. Ou seja, há hiperprodução de melanina tanto nas camadas superficiais da pele quanto nas camadas mais internas.

Algumas situações podem agravar a produção de melasma. Tocar o rosto ao longo do dia significa que você está transferindo bactérias de suas mãos para a pele, levando a uma maior chance de manchas aparecerem.

Muitas vezes não percebemos com que frequência tocamos nossos rostos, mas prestar atenção a isso e fazer um esforço consciente para evitar o gesto pode ajudar a reduzir sua contaminação.

O melasma não é uma doença grave de pele, porém, pode ser incômoda para muitas pessoas.

Para iniciar seus cuidados com a pele, baixe o ebook “Cosmética natural: faça você mesmo!” e conheça receitas incríveis para rejuvenescer a pele!